Muito conhecido pela sua incredulidade, São Tomé pertenceu ao grupo dos 12 apóstolos. O Senhor o chamou dentro de sua realidade, com suas fraquezas e até suas crises de fé. Tomé ou Tomás nunca teve medo de expor a realidade de sua fé e de sua razão, que queria saber cada vez mais e melhor.

Quando Jesus apareceu aos apóstolos ao ressuscitar, Tomé estava ausente e ao ouvir que os apóstolos viram o Senhor, exclamou: “Se não vir em Suas mãos a marca dos pregos e colocar o dedo nos buracos dos pregos e a mão em sua costela, não crerei”. “Oito dias depois, os discípulos encontravam-se reunidos na casa, e Tomé estava com eles. Estando as portas fechadas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas crê!”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20,26-28).

O Papa São Gregório Magno disse que “a incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos planos de Deus. O discípulo, que, duvidando da Ressurreição do Mestre, pôs as mãos nas chagas do mesmo, curou com isso a ferida da nossa incredulidade”.

Segundo a tradição, Tomé teria ido, depois de Pentecostes, evangelizar pelo Oriente. O Martirológico Romano afirma que ele pregou o Evangelho aos partos, medos, persas e hircanios, e depois passou à Índia, sendo martirizado em “Calamina”. É comemora em 3 de julho a trasladação das suas relíquias a Edesa.

Oração: Ó São Tomé, vos trazemos um canto alegre de louvor. Da simples arte de pescar, Jesus aos cimos vos levou. Ao seu chamado obedecendo, com vosso irmão tudo deixastes, e do seu Nome e do seu Verbo ardente arauto vos tornastes. Ó testemunha fulgurante da mão direita do Senhor, vedes no monte a glória eterna, no horto vedes a sua dor. E quando a taça do martírio chamou por vós, pronto atendestes, como primeiro entre os apóstolos pelo Senhor dela bebestes. Fiel discípulo de Cristo, da luz do céu semeador, iluminai os corações pela esperança, fé e amor. Dai-nos seguir com prontidão a Jesus Cristo e seus preceitos, para podermos, junto a vós, cantar-lhe o hino dos eleitos. Amém.