“Eu vi…, eu ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” – (Ex 3,7)

Entre os dias 07 E 09 de julho foi realizado o 11° Encontro Estadual das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) do Espírito Santo. O evento contou com 600 delegados de todo estado, que rezaram e refletiram sobre as CEBs e os desafios no mundo urbano. A reflexão ajudou a preparar os participantes para o 14° Intereclesial de CEBs, que acontecerá em Londrina (PR), de 23 a 27 de janeiro de 2018.

Padre Anderson Gomes foi um dos coordenadores do 11º Encontro das CEBs. Foto: Diocese de São Mateus

A programação teve início com a missa na Catedral de São Mateus e reuniu bispos, padres, seminaristas, religiosos e leigos vindos das quatro dioceses do estado. O Bispo Auxiliar D. Rubens Sevilha representou a Arquidiocese de Vitória e padre Anderson Gomes, coordenador de pastoral, foi um dos coordenadores do evento. À luz da passagem do samaritano, contaram com o auxílio de Tânia Maria Silveira, padre Andherson Franklin e padre Maroni, ambos da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.

Com o tema “CEBs e os desafios do mundo urbano”, o evento refletiu como as mudanças que ocorrem atualmente no mundo estão atingindo as Comunidades de Base e, a partir disso, como empreender novas iniciativas para a evangelização. Toda reflexão baseou-se no método VER, JULGAR e AGIR do texto base do 14º Intereclesial das CEB’s que acontecerá no próximo ano.

Nas reflexões sobre o “VER” foram analisados alguns elementos para a compreensão do mundo urbano contemporâneo e um breve histórico do processo de urbanização no Brasil e de como tem sido a construção do direito à cidade no país. Já as meditações do “JULGAR” foram feitas a partir do lema do 14º intereclesial, “Eu vi…, eu ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7), tomando como exemplo o apóstolo Paulo, que viveu a cidade como um desafio missionário, ainda a prática de Jesus de Nazaré e os ensinamentos do magistério recente da Igreja, sobretudo os do Papa Francisco.

A discussão do “AGIR” apontou os “Desafios no mundo urbano”, que significam o AGIR das CEBs.  Foram destacados os dez desafios que merecem maior atenção: moradia; mobilidade urbana; violência; meio ambiente e sustentabilidade; trabalho; saúde; educação; arte, cultura, esporte e lazer; tecnologia da informação e comunicação; afetividade e sexualidade.

O último dia do encontro contou com romaria pelas ruas de São Mateus, lembrando também a tragédia ocorrida em Mariana (MG). Foto: Diocese de São Mateus

“O desafio é grande, diante do que representam as forças sociais, políticas, econômicas e culturais que estão na raiz das opressões sofridas pelos pobres nas cidades. Mesmo assim as CEBs aceitaram o desafio, por acreditarem que Deus envia o Espírito que ilumina e fortalece quem, no seguimento de Jesus, luta pela justiça e pela paz. A fé em Jesus Libertador é, sem dúvida, sua principal força, mas elas sabem que a fé só ganha eficácia na medida em que é a inspiração profunda para a ação transformadora do mundo”, diz o texto base.

O apelo do Papa Francisco que convoca a Igreja a sair das sacristias e lutar para tornar efetivo para todo ser humano o direito à terra, ao teto e ao trabalho. A proposta do caminho de Jesus, desenvolvida pelas igrejas cristãs ao longo da história, leva a acreditar que as cidades podem ser um lugar de bem viver e conviver. Para isso é preciso participação popular nas decisões que dizem respeito a todos.

No domingo houve uma romaria com o tema “Casa Comum: Água”. Durante todo o percurso, foram abordados os dez desafios e as problemáticas do mundo urbano. Também foram destacados os desafios do meio ambiente e, como símbolo, uma imensa faixa marrom representando a “lama” foi exposta pelos participantes, lembrando a tragédia ocorrida em Mariana (MG) no dia 05 de novembro de 2015, e tantas outras situações que desafiam os leigos e as leigas nos dias atuais.

O encontro se encerrou com uma missa que contou com a presença do Bispo Dom Dario, de Cachoeiro de Itapemirim, dos anfitriões, Dom Paulo Bosi Dal’bom e o bispo emérito Dom Aldo Gerna, muitos padres de todas as dioceses do estado, demais delegados do encontro e muitos fiéis da Diocese de São Mateus.