Fundada oficialmente no dia 19 de maio, ela recebe como seu primeiro pároco o padre Edemar Endringer

A preocupação do arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, com a transformação urbana de Vila Velha o fez ver a necessidade da criação de uma nova paróquia no bairro Praia da Costa. O crescimento do número de condomínios e grandes edifícios tem feito com que a população aumente e fique condensada em alguns pontos, além de restarem poucos espaços para igrejas. “Assim, Paróquia Bom Pastor nasceu com o objetivo de dar mais atenção a esse povo que está alheio à igreja”, explicou padre Edemar Endringer, atual pároco.

A Paróquia do Bom Pastor da Praia da Costa terá apenas uma comunidade, bem diferente da sua paróquia de origem, a Bom Pastor de Campo Grande, Cariacica, que tem 10 comunidades localizadas em regiões grandes. “É uma realidade bem diferente!”, avalia. O que significa que haverá muitos desafios. Segundo o pároco, o principal deles será sua adaptação de uma “pastoral horizontal, como estava acostumado, para uma vertical”.

“É uma pastoral extremamente urbana. Estou no meio de padres muito interessantes que têm um estilo próprio, como o Hiller (Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe); o Diego (Paróquia São Francisco de Assis), que tem um estilo mais popular, mas é muito ungido; e o Anderson (Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro), que é muito carismático, competente, inteligente e tem um novo estilo de evangelizar através da música, que é um dom que Deus deu a ele. Então, vou chegar aqui com meu estilo que é simples, alternativo e tentar sustentar e alimentar a fé desse povo. Trazer Jesus Eucarístico e uma palavra de conforto. Esse é meu objetivo”, afirma o sacerdote.

Padre Edemar conta que, desde o primeiro momento, está contando com grande apoio do diácono Cláudio, “uma pessoa muito boa”, que tem lhe ajudado a fazer a transição junto ao padre Diego, pároco da São Francisco de Assis, da qual a Bom Pastor fazia parte antes de se tornar paróquia. Muito ainda precisará ser feito, especialmente no que diz respeito à infraestrutura, que deverá ser melhorada aos poucos.

“Não tínhamos nenhum centavo em caixa. Mantemos uma creche, Lar Frei Aurélio, que consome de R$ 30 mil a R$ 35 mil, um investimento social com as crianças carentes. Não temos salas para realização de atividades, como catequese, por exemplo, nem mesmo sala para eu atender aos paroquianos. Em razão disso, eu já fui à São Francisco pedir para dividirmos um espaço de modo que eu possa organizar um lugarzinho para atender ao povo”, explicou.

Outro desafio destacado pelo pároco recém-chegado é o fato de a igreja ser pequena. “Mas já vi que existe um espaço atrás que permite dobrar o tamanho do templo e vou tentar fazer isso de modo simples e sem gastar muito dinheiro”, contou Edemar, que lembra, bem-humorado, que “está cansado de construir”, referindo-se à construção do Santuário do Bom Pastor, em Campo Grande, uma obra de 10 mil m². “Independentemente de qualquer coisa, vamos precisar, de fato, fazer logo uma ampliação, mesmo que simples, para atender melhor à população”, acrescenta.

Edemar conclui dizendo que se coloca à disposição dos padres Anderson, Diego e Hiller, bem como dos demais padres da área Cariacica-Viana, para “formar um time legal, com muita comunhão, respeito um ao outro e fazer um trabalho juntos. A Paróquia Bom Pastor da Praia da Costa quer trabalhar em comunhão com as demais, nada de isolamento! Somos um continente, nunca uma ilha”.

Dedicação aos cristãos capixabas

“Sou um capixaba do mato”. É assim que padre Edemar Enderinger, recém-empossado pároco da nova Paróquia Bom Pastor, na Praia da Costa, se define. Nascido em São Rafael, em Linhares, ele tem 57 anos, é formado em Filosofia e Teologia, fez mestrado em Roma e doutorado em São Paulo, na área de Ciências Sociais. Em dezembro deste ano, completará 30 anos de sacerdócio, exercido integralmente na Arquidiocese de Vitória. Sua vocação surgiu aos 19 anos, antes disso, conta, nunca havia pensado em ser padre. Antes de ser ordenado, foi serviu como diácono por um tempo. “Sou feliz como padre. Se tivesse que nascer de novo e escolher hoje o que fazer da vida, escolheria ser padre novamente”, afirma ele com convicção.

Em sua trajetória, foi pároco nas paróquias Bom Pastor, em Campo Grande, Cariacica; São Pedro, em Jacaraípe, na Serra; São José, em Fundão, também no município de Serra; e Nossa Senhora da Glória, em Vila Velha.

Inaugurou em Campo Grande o Santuário do Bom Pastor, onde estava há 12 anos. “Como agora se encerrava o segundo mandato, coloquei a Paróquia à disposição, como todos os padres fazem, e como o próprio arcebispo já colocou seu cargo à disposição, ao completar 75 anos de idade. Então, Dom Luiz me transferiu para a Praia da Costa, para a nova Paróquia Bom Pastor. Agora sou vizinho da Perpétuo Socorro”, disse animado.

Paróquias criadas na Arquidiocese de Vitória em 2016 e 2017

– Mãe da Divina Misericórdia – Marcílio de Noronha, Viana – 21/08/2016

– São Francisco Xavier – Iriri, Anchieta – 04/09/2016

– Bem-Aventurado Padre Eustáquio Van-Lieshot – Guarapari – 30/08/2016

– Santa Luzia – Bairro Laranjeiras, Serra – 23/10/2016

– Santa Cruz – Bairro Vale Encantado, Vila Velha –  11/09/2016

– São Tiago Maior – Setiba, Guarapari – 18/02/2017

– Santa Teresa de Calcutá – Itararé, Vitória – 02/03/2017

– Nossa Senhora do Guadalupe – Itaparica, Vila Velha – 25/03/2017

– Nossa Senhora da Saúde – Morada de Laranjeiras, Serra – 05/05/2017

– Nossa Senhora da Esperança – Cidade Continental, Serra – 14/05/2017

– Bom Pastor – Praia da Costa, Vila Velha – 19/05/2017

– Nossa Senhora de Nazaré – Ponta da Fruta, Vila Velha – 31/05/2017