“Por uma participação ativa, consciente, plena e frutuosa”.

Em nossa III Semana de Liturgia queremos ressaltar a importância de compreender e entender o rito celebrado para podermos vivenciar o Mistério Pascal de Cristo de forma plena. Liturgia é “serviço ação” de Jesus Cristo (Mc 10,45). Sua vida, morte e ressurreição foram o maior serviço que Ele prestou ao Pai em nosso favor. Sendo Senhor, viveu como servo (Fl 2,5-11). Em cada celebração, vivenciamos a presença pascal de Cristo na nossa páscoa. Quem nos envolve neste Mistério, com nossas lutas e esperanças é o Espírito Santo. A celebração não é ação de um grupo, mas um “fazer, um agir juntos com” (SC 26). É muito comum ouvir expressões assim: “quem celebra hoje é o padre…” ou “vamos fi car de pé e acolher o celebrante e os ministros com o canto”. Estas e outras expressões para se referir ao presidente e às pessoas que exercem ministérios numa celebração não contribuem para a percepção da verdadeira natureza do celebrar. Quem celebra é a Igreja, corpo de Cristo. O celebrante é o povo de Deus, comunidade sacerdotal, sob a presidência de alguém e dos diversos ministérios. Celebramos os mistérios de Deus dentro de um universo simbólico. Os símbolos nos ajudam a unir, a transcender o visível. As ações simbólicas (água, luz, sal, óleo, pão e vinho…) são signifi cativas quando não caem na rotina) agir sem colocar espírito de vida), na atitude mágica (por exemplo, de acender uma vela pensando em alcançar favores de Deus) e na busca por novidades (inventar símbolos). Quando celebramos, expressamos sentimentos de alegria, louvor, confi ança… os símbolos ajudam a expressar nossos sentimentos na transcendência. Celebramos com o corpo: de pé (dimensão sacerdotal da assembleia); dando as mãos (sinal de unidade); levantando os braços (atitude de súplica); dançado (expressão de alegria no Espírito). O corpo é muito importante na liturgia. Ele expressa a pessoa toda (CNBB doc. 43 n. 76). O corpo fala, comunica inclusive o que está no inconsciente. Daqui nasce um grande desafi o na liturgia: conjugar a ação corporal (gestos) com sentido que damos a uma ação e atitude interior (agir com espírito).

Objetivo geral
Proporcionar aos participantes a oportunidade de vivenciarem uma catequese litúrgica para
melhor celebrar o Mistério Pascal de Cristo de forma plena, consciente, ativa e frutuosa.

Objetivos específicos
Ajudar as nossas comunidades a vivenciar a Celebração do Mistério Pascal.
Reavivar em nosso coração a beleza contida nos ritos, gestos e ministérios.
Despertar o nosso olhar para a simplicidade e o valor de cada sujeito da celebração.

Programação
18/09 – 19h30: Espaço Litúrgico, objetos, livros e
Símbolos Litúrgicos (Perpétuo Socorro)
19/09 – 19h30: Cantando a liturgia (Santo Antônio)
20/09 – 19h30: Ministérios Litúrgicos (Santa Luzia)
21/09 – 19h30: O Rito, parte por parte (Perpétuo Socorro)
22/09 – 19h30: Liturgia e Catequese (Perpétuo Socorro)