“Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste” – Mateus 18:10

Zelar pela vida dos pequenos. Foi com essa vocação que, em 1986, nasceu na Arquidiocese de Vitória a Pastoral da Criança. As primeiras atividades foram na Paróquia Jesus Maria e José, no bairro Itaenga, hoje chamado Nova Rosa da Penha, em Cariacica, como conta Ana Maria Lemos, secretária paroquial da Arquidiocese. “No início, os maiores problemas eram a alta taxa de mortalidade infantil e a desnutrição, aliadas à falta de informação das mães de conceitos básicos de higiene e cuidados neonatais. Nessa época o soro caseiro e a multimistura eram remédios simples, mas muito eficazes para reverter esse quadro. O conceito de catequese no ventre materno e os mil dias de acompanhamento à criança também foram de suma importância”, lembra.

Rosilene dos Santos Correa é coordenadora arquidiocesana da Pastoral há 4 meses, sucedendo Solange Lima, que hoje atua como colaboradora. Rosilene conta que a necessidade nasceu da carência de alguns bairros, frente à falta de saneamento básico, trazendo diarreia, desnutrição e doenças respiratórias às crianças. “Atualmente, um dos trabalhos mais importantes é a visita domiciliar, que acontece todos os meses, onde observamos o desenvolvimento da criança, se ela está sendo bem tratada, se brinca, se o calendário vacinal está em dia. Damos orientações necessárias às famílias das crianças e grávidas, principalmente o valor da alimentação saudável e da horta caseira”, conta.

Ação importante frente ao cenário atual: ao invés de desnutridas, as crianças estão obesas, fruto de uma alimentação pouco balanceada e rica em produtos industrializados. O papel educativo e de acompanhamento das agentes se torna mais que necessário. Além disso, a Pastoral identifica a situação social da criança em suas casas, agindo em casos de negligência, maus tratos e abandono.

Entre as atividades da Pastoral da Criança está a “Festa da Vida”, quando há a pesagem das crianças e reuniões de reflexão com as famílias.

Em nível arquidiocesano, são acompanhadas 12.116 crianças variando mês a mês. O número depende das visitas das lideranças que estimulam que as crianças compareçam às pesagens, chamadas de “Festa da vida”. O momento também inclui reuniões de reflexão e avaliação sobre o que foi visto em todas as etapas. Os voluntários interessados são bem-vindos, bastando buscar em sua comunidade ou paróquia o responsável pela Pastoral da Criança. Onde não houver, os interessados podem procurar a Arquidiocese pelo telefone 3223-6711.

Maria Luiza Aparecida Gomes Barbosa, multiplicadora, capacitadora e líder da Pastoral da Criança da paróquia Santa Luzia das Laranjeiras, em Serra, conta que é feita uma motivação e mobilização na comunidade em busca de novos líderes. Eles passam pelo estudo e conhecimento do livro Guia do Líder, que traz todas as informações das ações básicas de saúde, nutrição, cidadania e evangelização que, na Pastoral da Criança é ecumênica, uma vez que há lideranças e crianças cadastradas de várias religiões.

“A capacitação é realizada por etapas e, em paralelo, há atividades de campo, como visitar e cadastrar gestantes e crianças com menos de um ano. No final, fazemos o cadastro de crianças com até 5 anos e 11 meses (limite de idade para fazer parte da Pastoral). O capacitador é formado pela coordenação nacional e o multiplicador pela Arquidiocese. Este prepara os líderes organizados nas paróquias e comunidades para fazerem parte da Pastoral”, explica Maria Luiza.

Na paróquia Santa Luzia, além das visitas domiciliares, reuniões de reflexão e da Festa da Vida, há uma oficina de pintura em tecido com as mães das crianças da comunidade São Francisco das Chagas. “Em 2016 realizamos várias oficinas de aproveitamento integral do alimento, salgadinhos e sabão líquido e em barra. Com isso, hoje a maioria já prepara seu próprio sabão para o consumo. Damos atendimento a 38 famílias e 48 crianças”, complementa ela.

Foto: Jaqueline, da paróquia Sagrado coração de Jesus (Cariacica); Vanete, da paróquia São Pedro (Vitória);  Marilia, coordenadora da Escelsa;  Solange, secretária; Maria Aparecida, líder e secretária; Maria Luiza, multiplicadora; Edithe, capacitadora de hortas caseiras; Rosilene dos Santos Correa, coordenadora Arquidiocesana.