Caríssimos Presbíteros, Religiosos, Religiosas e Agentes Leigos de Pastoral

 

Todos os dias a mídia nos informa sobre o clima e, frequentemente, conta sobre chuvas torrenciais e dramas de famílias que perdem tudo o que conseguiram na luta diária pela vida. Não poucas vezes deparamos com trabalhadores de rosto sofrido cheio de rugas, mãos calejadas emocionados, chorando o prejuízo sofrido depois de tanto trabalho.

Emocionado com o drama humano pergunto-me: o que podemos fazer como gesto de solidariedade com a nossa gente sofrida? Nós, como Igreja Católica, temos algum poder de comunicação com os nossos irmãos na fé através de nossos boletins, revistas, rádio, reuniões de comunidades, círculos bíblicos e encontros dos diversos movimentos eclesiais, associações religiosas.

Tendo meditado e orado sobre esta dura situação de milhares de pessoas considero que poderíamos ajudar a prevenir futuros problemas em nosso Estado do Espírito Santo. A seca e a pouca chuva vem preocupando a muita gente. Não podemos ficar indiferentes. Nossa fé cristã ensina-nos a nos relacionarmos bem com a natureza e cuidado com o meio ambiente. Relacionar-se bem com a Natureza é uma questão de fidelidade ao Criador, uma questão de consciência!

Peço-lhes, pois, encarecidamente, que usem do poder de comunicação que Deus lhes concedeu e procurem motivar a Comunidade Católica e as pessoas de boa vontade para os seguintes pontos:

Cuidado com o meio ambiente no perímetro urbano, nas residências, ruas e nas estradas. Nossas cidades ficam feias e sujas quando pessoas irresponsáveis não cuidam delas contribuindo assim para a depressão humana, a violência e enchentes.

Cuidado com a natureza no meio rural. Nossas Comunidades Eclesiais no meio rural têm obrigação moral de conscientizar os irmãos e irmãs sobre o grande problema da seca, desmatamento etc. Cada Comunidade Eclesial situada no interior pode motivar os proprietários de terras a produzirem água. Sim, produzir água é reativar as fontes e nascentes através de um reflorestamento inteligente, produtivo para o proprietário e para outras pessoas e animais que poderão beber deste precioso líquido.

Caríssimos, sim, nós podemos! Nós podemos contribuir conscientizando nossas mil e trinta Comunidades Eclesiais da Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo!

Este apelo que faço a todos é um apelo de fé e justamente no mês das missões! Um missionário de Deus cuida da Natureza criada por Deus!

Esta é a minha Palavra de estímulo que dirijo, com carinho e esperança, a todos os creem que Deus é Amor!

Dom Luiz Mancilha Vilela, ssccArcebispo Metropolitano de Vitória – Vitória, 13 de outubro de 2015