Nos últimos anos ele vem ganhando grande destaque no cenário social, por meio de organizações, campanhas, gestões e movimentos em geral. Estamos falando do “meio ambiente”. Desde que a sociedade começou a ter conhecimento das mudanças que o mundo vem sofrendo, a partir da crise da modernidade, acentuaram-se os números de estudos na busca de soluções para os problemas sociais, ambientais, políticos e econômicos que se está passando. Assim começam a surgir novos paradigmas que visam uma direção mais preventiva parte da sociedade. É a consciência ambiental ganhando força!

Foi a partir da Conferência de Estocolmo, em 1972 que se ampliou o conceito de Educação Ambiental e na Conferência de Tibilisi em 1977 que internacionalmente reconheceu-se que:

“A Educação Ambiental é um processo de reconhecimento de valores e clarificação de conceitos, objetivando o desenvolvimento das habilidades e modificando as atitudes em relação ao meio, para entender e apreciar as inter-relações entre os seres humanos, suas culturas e seus meios biofísicos. A Educação Ambiental também está relacionada com a prática das tomadas de decisões e a ética que conduzem para a melhoria da qualidade de vida”. (SATO, 2002: 23-24)

FRATERNIDADE E VIDA

Composto por integrantes da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Associação de Moradores da Praia da Costa, o grupo “Fraternidade e Vida” tem como um dos principais objetivos contribuir para a melhoria da qualidade de vida, promovendo a conscientização ambiental dos moradores e provocando ações que promovam a solidariedade através de mudança de atitudes.

Ativo desde abril de 2011, o grupo tem estimulado e participado de atividades contribuem para melhoria do meio ambiente, considerando que este é o local onde vivemos – “ambiente natural, social, histórico e cultural, onde há uma interdependência entre todos os seres que nele habitam”. As atividades realizadas pelo Fraternidade e Vida estão sempre integradas à promoção da solidariedade, justiça social, respeito à natureza e amor ao próximo.

Integrante do grupo há mais de três anos, Maria José Lima ressaltou que muitas destas ações educativas têm sido implementadas por meio de parcerias, junto à Comunidade Eclesial, Associações de Moradores, grupos ambientalistas e entidades de promoção social e ambiental, como MOVIVE e Feira Orgânica da Praia da Costa. “Estamos também ajudando nos eventos dos AMIGOS DA RESTINGA e INJAPA, entidades que trabalham pela conservação da Restinga (tipo de vegetação da região). No ano passado fizemos oficina de reciclagem com crianças do Colégio Marista”, contou.

AÇÕES

Entre as ações promovidas pelo grupo “Fraternidade e Vida”, desde seu início em 2011, destacam-se:

  • Recuperação do Óleo de Cozinha Usado,
  • Separação do lixo (SECO e ÚMIDO),
  • O uso de sacolas retornáveis (tecido),
  • Incentivo à carona solidária;
  • Visita aos restaurantes da Praia da Costa verificando o descarte do lixo e óleo de cozinha usado;
  • Reunião com catadores em Terra Vermelha;
  • Parceria com Banco Terra para financiamento de carrinho de catador,
  • Campanha de conscientização nas comunidades;
  • Exposição de Arte com Materiais reutilizáveis;
  • Preparação das Festas Juninas limpas;
  • ECOPOSTO nas Festas Juninas de Santo Antônio e Perpétuo Socorro;
  • Participação na Feira Bíblica,
  • Participação nos Fóruns e reuniões sobre novo PDU de Vila Velha;
  • Troca de Garrafas Pets por Pão – Sindipães;
  • Participação e reivindicações junto a PMVV para a implantação da Coleta Seletiva em nosso Bairro;
  • Participação “Feira Orgânica” – Um Novo Olhar sobre o Lixo”.

De acordo com a coordenadora do grupo, Fátima Regina Guerra Alves, ou “Fatinha”, como é conhecida, a diversidade de atividades mantém a equipe sempre em atividade. “O grupo trabalha muito, recentemente estivemos na festa de Santo Antônio, por meio de num trabalho educativo e solidário”, observou. “Desta forma, temos trabalhado nas várias oportunidades em nossas comunidades e bairros através de ações educativas realizadas com simplicidade e alegria”.

A Feira de produtos Orgânicos é outra vertente organizada pelo grupo todos os sábados pela manhã, sempre embaixo da Terceira Ponte em Vila Velha. O trabalho teve início por meio de um levantamento feito junto aos agricultores feirantes. “Antes de iniciarmos um trabalho socioambiental é preciso levantar a realidade e conhecer as expectativas do público envolvido”, pontuou a coordenadora.

Ao fim de 2013, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil tinha 10.064 unidades de produção orgânica. O Nordeste lidera o ranking nacional, com 3.198 unidades de produção, seguido pelas regiões Sul (3.165), Sudeste (2.409), Norte (1.023) e Centro-Oeste (269).

A certificação dos orgânicos no Brasil é responsabilidade do MAPA que, por intermédio do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (SisOrg), concede um selo de identificação aos produtos. Esta certificação dos orgânicos pode ser feita também por entidades especializadas em determinados tipos de produção. Por: Ana Paula Teixeira (Agência Parresia)